Carros

Renault Anuncia preços do novo Clio E-Tech híbrido e Captur E-Tech híbrido plug-in

Com base na inovadora tecnologia E-TECH desenvolvida na Fórmula 1, a nova gama de híbridos da Renault chega à Rede de Concessionários no mês de setembro e os preços de dois modelos já estão definidos: Clio E-TECH Híbrido a partir de 23.200€ e Captur E-TECH Híbrido Plug-In a partir de 33.590€. Duas propostas referência na autonomia em modo 100% elétrico, mas também nos reduzidos consumos, devido à inovadora tecnologia híbrida que incorporam.

O Clio E-TECH Híbrido, e o Captur E-TECH Híbrido Plug-In, podem, desde já, ser encomendados na Rede de Concessionários Renault, em Portugal.

Pioneira nos automóveis 100% elétricos e com uma larga experiência na era híbrida da Fórmula 1, a Renault desenvolveu uma inovadora tecnologia híbrida designada por E-TECH. Protegida com 150 patentes, permitiu o desenvolvimento de dois tipos de motorização:

–  E-TECH, um sistema híbrido que se estreia no modelo Clio.

– E-TECH Plug-in, um sistema híbrido recarregável, com ligação à tomada elétrica, disponível no Captur (e também no Mégane Sport Tourer).

Uma tecnologia que proporciona consumos imbatíveis (1,5l/100km nas versões híbridas plug-in do Captur, e entre 4,3 e 4,4 l/100km na versão híbrida do Clio), prazer de condução (passam a ser as versões mais potentes de cada um dos dois modelos) e, claro, um menor impacto ambiental, devido às mais reduzidas emissões poluentes.

Renault Clio E-TECH Híbrido 140

O Renault Clio E-TECH Híbrido 140 será comercializado, em Portugal, exatamente ao mesmo preço das versões equipadas com o motor diesel Blue dCi 115 equivalentes. A versão de entrada de gama – Intens – estará disponível por um preço de 23.200€, já integrando equipamentos como o sistema EASY LINK e o ecrã TFT (ambos de 7 polegadas), bem como o volante multifunções. R.S. Line, Exclusive, SL e Initiale Paris são os restantes níveis de equipamento com que estará disponível o Clio E-TECH Híbrido 140.

Equipado com um motor de nova geração a gasolina de 1.598cc de cilindrada, associado a dois motores elétricos – um de tipo HSG (High-Voltage Starter Generator) – e a uma inovadora caixa de velocidades multimodo sem embraiagem, o Renault Clio E-TECH Híbrido 140 debita 140 cavalos de potência, assumindo-se como a versão mais potente do modelo.

A travagem regenerativa, combinada com a elevada capacidade de auto recarregamento das baterias de 1,2 kWh (230V) e com o rendimento do sistema E-TECH, permitem que, até 80% do tempo de circulação em meio urbano, seja realizado em modo 100% elétrico, com um ganho nos consumos na ordem dos 30% face ao de um motor térmico. Isto em ciclo urbano e sem necessidade de adaptação da forma de condução. Ou seja, para uma quilometragem anual de 15.000 quilómetros, a poupança em combustível, em relação à versão TCe 130, será na ordem dos 25€/mês. Em modo totalmente elétrico, o Novo Clio pode circular até aos 70-75 km/h.

O Clio E-TECH Híbrido 140 reivindica um consumo entre os 4,3 e 4,4 litros/100 km, em ciclo misto e emissões entre as 98 e as 100g de CO2/km (valores WLTP).

Renault Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160

O Renault Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160 é o primeiro crossover híbrido plug-in do segmento B e quando, em setembro, chegar à Rede de Concessionários, estará disponível por 33.590€ (versão Exclusive) e 36.590€ (Initiale Paris). Valores que, em relação às versões a gasolina ou a diesel, facilmente são rentabilizados pelos imbatíveis custos de utilização.

Na realidade, por exemplo, em relação à versão a gasolina de potência equivalente, o Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160 reivindica consumos inferiores em cerca de 75%. Ou seja, com um consumo, em ciclo misto de apenas 1,5l/100km e contabilizados também os custos de eletricidade, cada 100 quilómetros percorridos terá um custo na ordem dos 2,5€, contra os 10€/100km de uma versão a gasolina ou os 7€ de um diesel. Em suma, numa quilometragem anual de 15.000 quilómetros, o custo em combustível e eletricidade rondará apenas os 375€/ano, contra os 1.500€ de um motor a gasolina, e os 1.050€ de um diesel.

O Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160 debita 158 cavalos de potência, graças aos 91 cavalos do motor a gasolina de 1.598cc de cilindrada e aos 67 cavalos (49 kW) do motor elétrico de tração, que surge associado a uma bateria de 10.4 kWh (345V). O segundo motor elétrico mais não é do que um Alternador Gerador de Alta-Voltagem (HSG) para os arranques e alimentação em modo elétrico.

Esta nova versão – também a mais potente da gama – permite percorrer até 50 quilómetros em modo 100% elétrico, a uma velocidade máxima de 135 km/h em ciclo misto (WLTP) e 65 quilómetros em ciclo urbano (WLTP City). Todos os arranques são efetuados em modo 100% elétrico.

A exemplo do Clio E-TECH Híbrido 140, o Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160 é equipado com uma inovadora caixa de velocidades multimodo sem embraiagem.

Mégane Sport Tourer E-TECH Híbrido Plug-In 160

A exemplo do Clio E-TECH Híbrido 140 e do Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160, o Renault Mégane Sport Tourer E-TECH Plug-In 160 chegará à Rede de Concessionários em setembro, mas com preços a anunciar oportunamente.

Vantagens fiscais associadas a custos de utilização reduzidos

Devido à elevada capacidade de utilização do modo elétrico, quer o Clio E-TECH Híbrido 140 quer o Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160 reivindicam consumos que tornam muito competitivos (face aos motores a gasolina, mas também aos diesel) os seus custos de utilização.

Mas, para além disso, o custo de utilização é ainda minimizado pelas vantagens fiscais, para clientes empresariais, associadas aos modelos híbridos.

No Captur (e Mégane Sport Tourer) que beneficiam da tecnologia E-TECH Híbrida Plug-In, no valor de aquisição, o IVA é 100% dedutível; a taxa de tributação autónoma é de 10% (ou de 17% para as versões com valor de aquisição superior a 35.000€); o IVA associado aos carregamentos de eletricidade é 100% dedutível; 75% de desconto no ISV e uma dedução fiscal em amortizações até 50.000€.

Já no caso do Clio E-TECH Híbrido 140, as empresas beneficiam de uma taxa de tributação autónoma de 10%, de 60% de desconto no ISV e de um gasto fiscal em amortizações até 25.000€.

Todos estes argumentos fazem do Clio E-TECH Híbrido 140 e do Captur E-TECH Híbrido Plug-In 160 duas propostas competitivas face à tradicional oferta a gasolina ou gasóleo. No âmbito do Eco Plan, lançado pela Renault Portugal no início de 2020, o Clio Híbrido beneficia de um apoio de 1.750€ para o abate de um automóvel com idade igual ou superior a 12 anos, enquanto que no Captur Hìbrido Plug-In este montante eleva-se a 2.500€ (acumulável

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.